Cocco – Utsukushii hibi

Garimpando na minha pasta de Escritos e Traduções, achei essa pérola da Cocco. A música você ouve aqui. 美しい日々 望まれてもないのに 殺されもしなかった 部屋の外に出たけど 立ち尽くすだけだった 育てた花でさえ わたしなしで生きてる お水は要らないの? 雨を飲んで 空を向いて 口を閉ざし 途方に暮れる わたしは 想う 真面じゃない腕で 膝を抱えながら いつまで いつまで あなたを 守れる? いつまで いつまで こうして あなたと わたしの赤い声は あなたの肉となった 今と足跡なんか 正しくつなげないけど 途切れることはなく 続いていくという事 あなたは知らないの その先には 未だ見ぬ夢 罪を背負い 海に出る道 それでも逝くだろう あなたを残して … Continue lendo Cocco – Utsukushii hibi

Anúncios

Falar é preciso

Dona Ivone Lara, um dos maiores nomes do samba e da música brasileira, nos deixou. Em sua homenagem, irão fazer um musical. A divulgação da cantora escolhida para representá-la, Fabiana Cozza, vem gerando muitas discussões acerca de racismo, colorismo e outros ismos. A esse respeito, compartilho aqui a coluna da jornalista Flávia Oliveira, publicada em 07 … Continue lendo Falar é preciso

O leque japonês

Em 2015, participei do curso online totalmente gratuito How Writers Write Fiction, que se propõe a criar exercícios de escrita para quem gosta de expôr suas ideias em palavras. Infelizmente desanimei no meio do curso e não concluí - é, mais um projeto interrompido. Hoje, revendo alguns arquivos aqui no meu computador, encontrei o texto … Continue lendo O leque japonês

Artigo: Sobre bar e tolerância, com saideira

Compartilho aqui o artigo do escritor e jornalista Marcelo Moutinho publicado no jornal O Globo neste último sábado (24/03/2018). 1 O poeta Vladimir Maiakovski certa vez escreveu que, diante dele, a anatomia ficou louca. “Sou todo coração”, diz no verso seguinte do poema “Moradia certa”, espécie de gênese de si mesmo. Lembro das palavras de … Continue lendo Artigo: Sobre bar e tolerância, com saideira

FBN | Documentos Literários: Josephina Álvares de Azevedo, jornalista e dramaturga

Você conhece Josephina Álvares de Azevedo?

blogdabn

No mês de março, dedicado à luta das mulheres pela igualdade de direitos, a Série Documentos Literários, contribuição da Divisão de Manuscritos, dá destaque a Josephina Álvares de Azevedo, precursora do movimento feminista no Brasil.

Natural de Pernambuco, onde nasceu em 1851, Josephina era prima – ou, segundo alguns biógrafos, meio-irmã — do poeta Manuel Antônio Álvares de Azevedo. Não existe muita informação sobre seus primeiros anos; a pesquisadora Valéria Souto-Maior afirma que teria vivido no Recife até 1878, quando se mudou para São Paulo. Em 1888, começou a publicar o jornal “A Família”, dedicado à educação da mulher. Era voltado principalmente para as mães de família, que, segundo Josephina, precisavam se instruir a fim de poder formar bons cidadãos.

a familia

De periodicidade semanal, o jornal foi publicado em São Paulo durante alguns meses, depois se transferiu para o Rio de Janeiro. Com a proclamação da República, passou a defender o…

Ver o post original 255 mais palavras