O GIGANTE ACORDOU

O peito parece arrebentar. Lágrimas nos meus olhos, causadas não por gás lacrimogêneo, mas por me sentir impotente. Raiva, desespero por ver a História acontecendo e não estar lá participando ativamente.

Ele me compreende, olha no fundo dos meus olhos mareados e diz:

_ Escreve.

Então eu resolvi escrever.

– – –

Durante os dois últimos anos do Ensino Fundamental e todo o Ensino Médio, estudei em uma escola militar no Rio de Janeiro. Lembro-me claramente de um determinado ano em que resolveu-se fazer uma semana de eventos sobre as manifestações culturais dos anos sessenta no brasil. Manifestações culturais. Não se falou sobre o Golpe Militar. Não se usa essa palavra. A hipocrisia era tanta que, quando começou a tocar Apesar de Você, eu, do alto dos meus quinze anos, senti nojo de tudo aquilo. Lembro-me de que não quis participar de nada, pois achava todo aquele texto absurdo demais, pano quente demais pro meu gosto.

Compreendam, eu não sou uma pessoa politicamente ativa. Acredito ter uma visão libertária e um tanto quanto simpática ao “faze o que tu queres, contanto que não ultrapasse o direito do teu próximo”; e acredito também que para tudo tem um limite.

Pois bem: vinte centavos foi o limite.

Caso você só acompanhe as notícias pelas grandes redes de televisão, desligue o seu televisor e se concentre em ouvir o que os outros têm a dizer. Quem realmente participou das manifestações está expondo tudo o que viu, ouviu e sentiu na internet. Agora, esse instrumento de comunicação é, mais do que nunca, o melhor meio que podemos utilizar para nos informar e informar aos outros.

Não são estudantes de classe média alta, vagabundos, arruaceiros que estão indo para as ruas protestar. São pessoas, brasileiros como todos nós, que se cansaram de apenas assistir ao grande mar de corrupção no qual este país se transformou. Se você não concorda ou acha absurdo, te convido a repensar: absurdo mesmo é ser o país com a maior taxa tributária e ter o sistema educacional que nós temos. Absurdo é ter hospitais públicos que não oferecem atendimento digno. Absurdo é o nosso salário mínimo. Absurdo é gastarem rios de dinheiro em Copa das Confederações, Copa do Mundo e Olimpíadas e ainda ter gente sem saneamento básico, sem comida, sem uma vida digna.

De todo a História do Brasil, a minha época favorita (e nisso eu incluo sim a minha visão romântica da época) é justamente o período dos anos sessenta. A Revolução de 68, os anos de luta política contra a ditadura e a favor de um estado democrático, laico e do povo e para o povo. Houvesse eu nascido para viver aquela época, provavelmente teria participado de alguma forma.

Pois bem: acho que chegou a nossa revolução. O nosso momento de agora dizer o quanto nos revolta viver da forma como vivemos. É a nossa primavera: que possamos, então, sentir o aroma das flores no meio de todo esse caos.

O GIGANTE ACORDOU.

Anúncios

Autor: Lis

A wicked witch.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s