Álbuns que formaram o meu caráter (em ordem aleatória) – Parte III

Eu ia me enveredar pelo caminho nipônico, mas resolvi dar uma paradinha na Irlanda.

Ah, U2. Já foi uma banda muito, muito boa. Antes do Bono enlouquecer e decidir salvar o mundo, era uma banda engajada em fazer boa música. Depois disso, eles degringolaram. Saudosista como sou com praticamente tudo, U2 que vale alguma coisa (pra mim, é claro) é só até 1993. E o meu álbum favorito é este aqui:

O Álbum: U2 – Achtung Baby (1991)cuidado, bebê

Este é um daqueles mágicos álbuns que eu consigo ouvir do início ao fim sem cansar, sem pular sequer uma faixa. Eu lembro de ver os clipes e cenas da turnê da época – telas IMENSAS, todo aquele lance da televisão, de estar conectado com o mundo, de estar ao vivo falando de qualquer lugar – e ainda hoje isso não me soa datado: é só adaptar pra internet. O álbum começa com essa vibe.

 

As Faixas:

01 – Zoo Station (4:36)

In the cool of the night
In the warmth of the breeze
I’ll be crawlin’ ‘round
On my hands and knees

Just down the line, zoo station
Gotta make it on time, zoo station

E que letra atual… Porque nós continuamos prontinhos, de joelhos, esperando a (web)câmera. Na verdade, agora nem precisamos mais esperar…

Bem, as minhas outras faixas favoritas são mais melancólicas.

03 – One (4:36)

You ask me to enter
But then you make me crawl
And I can’t be holding on
To what you got
When all you got is hurt

A letra fala sobre família em um dos versos e essa música sempre vai me fazer lembrar do relacionamento conturbado que sempre tive com mamãe. Eu costumava ouvir esta música em looping quase eterno durante os piores momentos de crise.

06 – So Cruel (5:49)

I disappeared in you
You disappeared from me
I gave you everything you ever wanted
It wasn’t what you wanted

The men who love you, you hate the most
They pass right through you like a ghost
They look for you but your spirit is in the air
Baby, you’re nowhere

I wish I was cruel.

 

Agora, a próxima música eu não vou comentar nada. Ela mesma é suficiente.

12 – Love is Blindness (4:23)

Love is blindness
I don’t want to see
Won’t you wrap the night
Around me
Oh my heart
Love is blindness

In a parked car
In a crowded street
You see your love
Made complete
Thread is ripping
The knot is slipping
Love is blindness

Love is clockworks
And cold steel
Fingers too numb to feel
Squeeze the handle
Blow out the candle
Love is blindness

Love is blindness
I don’t want to see
Won’t you wrap the night
Around me
Oh my love
Blindness

A little death
Without mourning
No call
And no warning
Baby…a dangerous idea
That almost makes sense

Love is drowning
In a deep well
All the secrets
And no one to tell
Take the money
Honey
Blindness

Love is blindness
I don’t want to see
Won’t you wrap the night
Around me
Oh my love
Blindness

Anúncios

Autor: Lis

A wicked witch.

Uma consideração sobre “Álbuns que formaram o meu caráter (em ordem aleatória) – Parte III”

  1. Love is Blindness ganhou uma versão do Jack White que gosto muito.
    U2 nunca foi muito ouvido na família, então só conheci a banda mesmo na época Capitão Planeta (espera, este é o Sting), lá no início dos anos 2000, eu acho. Elevation, All That You Can’t Leave Behind…

    PS: Obrigado pela republicação do post!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s