Laugh, I nearly died

A bolha estourada entre a base do polegar e a mão coçava. Vermelha, feia. Demoraria a cicatrizar, como todas as suas feridas.

Sentia o sabor suave do que seria uma ressaca – se ao menos tivesse a desculpa etílica. Não bebia há muito tempo. Talvez tempo demais.

_ É nisso que dá fazer essas viagens pela Estrada da Memória – martelou Clarisse, mal abri meus olhos. – Você fica se lembrando dos melhores momentos, das viagens, das festas, das noites, das músicas…

Fui me arrastando até o banheiro. Não queria me olhar no espelho. Seria um longo dia.

_ Sinto até saudades de quando Supernatural era uma série que prestava – disse, enquanto fazia o café.

Clarisse riu e acendeu um cigarro, o corpo apoiado na pia da cozinha.

_ Não se esqueça de lembrar também das derrotas, viu?

A bolha estourada coçava, incansável.

Queria acordar meio-dia e passar incólume pela manhã. As manhãs com Clarisse são as piores.

Anúncios

Autor: Lis

A wicked witch.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s