Matar, castigar, perdoar

Gostaria de compartilhar na íntegra o artigo de Conrado Hübner Mendes, doutor em Direito e professor da USP, que foi publicado na revista Época desta semana. Os links no corpo do texto são de matérias jornalísticas relacionadas ao assunto. Eu ainda estou em choque com o assassinato da vereadora Marielle Franco. Não consigo escrever nada, … Continue lendo Matar, castigar, perdoar

Anúncios

Oito de Março de 1950?

Passei este Oito de Março em casa, com um belo torcicolo como companhia há 24 horas - e que possivelmente fará de tudo para estender sua permanência até o fim de semana. Tentei estudar, não consegui; tentei ler, mas foi em vão. Tentei escrever... Pior ainda. Daí eu leio sobre o discurso que o presidente … Continue lendo Oito de Março de 1950?

Tudo é política

Por Nelson Werneck Sodré Há uma certa confusão, até certo ponto natural e só em alguns casos devida à má-fé, em torno do problema da política em literatura, da posição do escritor em face da política. O grande escritor democrático Gottfried Keller disse, certa vez: "Tudo é política". Ele não queria significar, entretanto, que tudo … Continue lendo Tudo é política

Política, futebol e rock – não necessariamente nessa mesma ordem

Assisti ao interessante documentário Democracia em Preto e Branco (2014). O filme mostra, em 1982, a convergência de três fatores que incitam amor (e ódio também): política, futebol e rock. O movimento pelas eleições diretas para Presidente, o engajamento político do elenco de jogadores do Corinthians e a riqueza das letras de rock que surgiam naquela época … Continue lendo Política, futebol e rock – não necessariamente nessa mesma ordem

Texto de Eliane Brum: A mais maldita das heranças do PT

Se é para ler um único textão sobre os últimos acontecimentos, que seja esse da escritora e repórter Eliane Brum. Em tempo: sou parte dos 37.279.085 eleitores que não votaram nem no PT e nem no PSDB. Sou apartidária, mas não apolítica; totalmente a favor da democracia, pluralidade e diálogo; contra a ditadura - qualquer que … Continue lendo Texto de Eliane Brum: A mais maldita das heranças do PT

Ser brasileiro, com muito orgulho, com muito amor – a cada quatro anos

Sempre gostei de Copa do Mundo, desde bem pequena. Lá em casa fazíamos tudo: torcer pela seleção, reunir família, amigos, acompanhar todos os jogos, cantar o hino (muito bem aprendido), jogar o chaveiro no chão e dizer que o time adversário "tá amarrado" e outras mandingas.Agora, já adulta, há uns cinco anos venho acompanhando a Copa … Continue lendo Ser brasileiro, com muito orgulho, com muito amor – a cada quatro anos