Lua adversa

Tenho fases, como a lua, Fases de andar escondida, fases de vir para a rua… Perdição da minha vida! Perdição da vida minha! Tenho fases de ser tua, tenho outras de ser sozinha. Fases que vão e que vêm, no secreto calendário que um astrólogo arbitrário inventou para meu uso. E roda a melancolia seu … Continue lendo Lua adversa

Espelho

Clarisse está aqui me fazendo companhia. O cheiro de cigarro de canela envolve sua imagem enquanto ela se serve de mais uma xícara de café. _ Você sabe o que devia estar fazendo, né. _ Sim - respondo. _ E mesmo assim não vai fazer? _ Não tô com cabeça pra isso hoje. _ É … Continue lendo Espelho

Spleen

Naqueles cinzentos dias de inverno carioca, Clarisse era onipresente. Era a senhora soberana em meus domínios, a deusa onisciente; o gélido ar que me doía nos pulmões, a macia colcha que me envolvia à noite; a culpa, o corpo, a alma. Entre uma baforada e outra de seu cigarro, Clarisse declamava-me poemas cheios de spleen. Porias … Continue lendo Spleen

Clarisse compõe

Eu tinha me enganado. Pensei que ela já tivesse ido embora, sorrateira como sempre, deixando os cacos de minha consciência pelo chão. Ela sempre pisa nos menores, e o doce rastro de sangue acompanha seus passos como um véu de noiva. Não, ela não tinha ido embora. Clarisse ainda estava ali, me espreitando com seus … Continue lendo Clarisse compõe